Picos de crescimento e desenvolvimento

A maternidade vem cheia de desafios e um deles são os picos de crescimento e desenvolvimento que os bebés têm.
São vários ao longo do primeiro ano de vida, por norma afectam o sono e podem também afectar o apetite.

Os picos de crescimento como o nome indica é uma altura de crescimento rápido, o bebé tem necessidade de ingerir mais calorias, acabando por se notar na quantidade de mamadas diárias, é frequente que mame mais frequentemente e ao fim do dia o bebé passe 1 hora ou mais na mama, sempre a mamar e a chorar porque desta forma estimula o aumento de produção de leite.

Depois vêm os picos de desenvolvimento que são fases em que o bebé está a prender algo novo e quando o pico termina o bebé já domina esse novo conhecimento, pode ser rebolar, gatinhar, andar, estar sentado, etc...
Nem sempre são fáceis e são diferentes para todos os bebés! O sono nocturno muitas vezes é afectado porque é neste período que se organizam os pensamentos e sentimentos e o bebé tem muito que processar e tem a vontade de continuar a tentar mesmo estando cansado então pode ser difícil adormecer e/ou acordar mais vezes durante a noite.
Para os picos de desenvolvimento o ideal é manter as rotinas o mais inalteradas possível, tendo noção que, eventualmente, todos os picos passam.

A Bia está agora numa fase complicada, fiz o desmame, estão a sair os caninos, está doente, gatinha há umas semanas e está a tentar andar. Está numa fase em que já sendo independente continua a ser dependente e deduzo que seja muita coisa para processar. Têm sido noites complicadas mas sei que vai passar!


11 meses

É a minha princesa, esperta, linda e fofa. Já gatinha mas está sempre a tentar andar, bate palmas, diz adeus, dá beijinhos a todos os bonecos que tem e às vezes a nós. Há já umas semanas está de pé na mesa de actividades e vira-se para a caixa de legos para brincar com os legos e volta à mesa. Adora artes manuais na creche e as aulas de música.
Temos um andarilho da Chicco com buracos para bolas e outras formas, já coloca as bolas no sítio das bolas e tenta colocar as outras formas nos outros buracos mas sem sucesso, ainda.
Continua a preferir destruir a construir, lá vai dizendo papá, gosta de andar no cavalinho e sabe dar balanço sozinha, fala muito e brinca sozinha por algum tempo.
Já abre gavetas, já entalou mãos (mas nada de grave), já caiu ao tentar agarrar algo quando está em pé, já se mandou para trás ao meu colo e bateu com a cabeça na cadeira que, felizmente, estava atrás dela senão não sei se não caía ao chão...
Já não mama e não tem pedido, por isso acho que o desmame correu bem, fiz faseado mas em curto espaço de tempo.
Tem mais dentes, mais estão a vir, lavamos os dentes duas vezes por dia e nem sempre é fácil mas tem de ser...
Sorri muito, ri muito, faz-nos rir muito e ter muito orgulho de sermos pais desta bebé!








Aproveita que eles crescem depressa

Há uns dias estávamos a falar sobre algumas frases cliché e um colega disse que sempre achou parva a frase "aproveita que eles (bebés) crescem depressa". Tentei explicar que é verdade, que muitas vezes perdemo-nos nos pontos menos positivos de uma fase de crescimento e acabamos por não aproveitar na totalidade. Principalmente no início que o desenvolvimento se dá tão rápido e olhamos para trás e mal nos lembramos como eram pequenos, ou temos saudades de quando adormeciam nos nossos braços fosse qual fosse o local...
Ele continuou sem perceber e eu disse que talvez quando ele fosse pai. Porque claro que a seguir a uma fase vem outra com pontos positivos, e negativos, e claro que tem também de ser aproveitada, mas o tempo não volta atrás por isso aproveitar o presente sem apressar o futuro é o melhor a fazer.


Volendam a dois


O Ricardo fez anos e os meus pais vieram cá de surpresa. Nós tínhamos já planeado ir a Volendam os três mas como eles vinham acabei por marcar só para os dois... Ele só soube que íamos estar sozinhos dia 1 perto da meia-noite, quando eu cheguei com os meus pais lá a casa.
No dia 2, dia dos anos do Ricardo, ficámos com eles até ao almoço e depois de almoço lá fomos. Custou-me muito deixar a miúda, ia assim com o coração apertado e vontade de chorar mas pela viagem lá passou.
Aproveitámos a piscina, demos uma volta a pé antes de ir jantar, um céu estrelado lindo lindo (já tinha saudades de ver um céu assim) e fomos jantar. Mesmo com enxaqueca e doente adorei, pela qualidade, por podermos comer com calma sem receio que a miúda acordasse foi bom.
Dormi terrivelmente mal! Pior do que quando ela dorme mal, irónico não é?!
De manhã estava um dia frio e solarengo, demos mais umas voltas pela vila depois do pequeno-almoço, almoçámos e seguimos de volta para Amesterdão...

Apesar de doente e de ter passado mal a noite soube bem ter tempo para nós e não ter horários nem a preocupação de ter de dar comida, por na cama, e isto e aquilo... Apesar de sentirmos a falta dela como é óbvio!









    



Alimentação complementar e cocós

Sim, os pais estão sempre a falar dos cocós dos seus filhos, é a vida! É algo importante, cocós e puns e arrotos e afins ahahah
Tive imensa gente a dizer-me que quando introduzisse a alimentação complementar ela ia ter imensas cólicas e prisão de ventre, ia deixar de fazer tantos cocós como com a mama. Ora já começámos há 4 meses e o meu veredicto é que, felizmente, não se verifica. A miúda é capaz de fazer 6 cocós por dia, não daqueles que sobem pelas costas acima mas uns bons cocós, outros pequenos, mas faz todos os dias várias vezes. Até na creche nos disseram uma vez "ela faz muito cocó, hoje já fez 3" ahahaha

Assim sendo vamos lá fazer o resumo do que esta miúda come por dia:

6h30- mama
7h- pequeno almoço composto por papas de aveia com flocos e uma farinha (arroz integral ou trigo sarraceno) com pêra ou maçã e canela, neste momento e desde há uns 2 meses panquecas de aveia, fruta e vegetais que ela come sozinha.
9h30- fruta
11hh30- almoço composto por vegetais, proteína animal (na escola dia sim dia não) e hidratos (massa, arroz, batata, cuscous, quinoa...).
13h30- Leite adaptado
17h- jantar composto por proteína, hidratos e vegetais e depois fruta que come com a mão dela.
18h45- Leite adaptado
22h/23h- Leite adaptado

Começámos a fazer purés, depois em vez de usar a varinha mágica usamos um esmagador de batatas (ver figura) para ela se adaptar às texturas e a fruta sempre para ela comer à mão. Neste momento e desde os 9meses, apenas se cortam os vegetais e proteína pequenos deixando mais textura, por exemplo ela adora caril com vegetais e carne ou peixe, não trituro mas os vegetais estão em cubinhos/fatias pequenas.
Tenho reduzido a quantidade de vezes que dou mama e neste momento só dou de manhã e ela depois bebe leite adaptado...



Os líderes de hoje


Vou falar especificamente de chefias e afins e, para mim, um chefe/director tem de ser imparcial! Imparcialidade é das coisas que eu mais admiro num líder! Um líder não pode prejudicar alguém só porque não se dá/identifica com alguém e esse alguém trabalha convenientemente.
Cheguei a assistir muita parcialidade em trabalhos anteriores e ainda hoje assisto um bocado no meu actual local de trabalho. E atenção que não tem nada a ver com não ir tomar café com x ou y para não acharem que são parciais, da porta para fora é vida pessoal e da porta para dentro tem de haver uma homogeneidade de tratamento.
É difícil, eu percebo que seja, tendemos a ser ou mais permissivos ou muito mais exigente com colegas de quem gostamos (eu por norma sou mais exigente, o Ricardo sofreu um bocadinho quando eu era supervisora dele e namorávamos).

Ainda assim há que tentar encontrar um equilíbrio e tentar ser objectivo.


Beringelas recheadas

É uma receita que adoro... Fácil e relativamente rápida.
Primeiro lavar bem as beringelas, tirar o talinho em cima (podem deixar também, fica mais bonito) e cortar ao meio. Retirar a polpa com a ajuda de uma colher e triturar no processador ou picar à mão.
Colocar as beringelas num tabuleiro anti-aderente ou forrado com papel de prata em forno pré-aquecido a 180 graus, enquanto prepara o recheio.
Colocar carne picada (já fiz com granulado de soja e é muito bom e podem também fazer só com vegetais ou com atum até) com a polpa da baringela triturada, courgette ralada e cogumelos frescos cortados em bocadinhos num tacho a saltear, temperar a gosto (já fiz com caril, com cominhos, tomilho, inventem à vossa vontade).
Quando as beringelas estiverem molinhas rechear, colocar queijo ralado por cima e levar ao forno novamente até dourar. Se as beringelas estiverem bem cozinhadas basta ligar o grill, se estiverem ainda meio rijinhas coloquem a 200graus mais uns minutos e depois grill.
Eu adoro e o Ricardo também! O truque é ter sempre mais verduras do que carne ou substituto. Nós comemos assim mesmo, ou com salada.


Acessórios úteis para a maternidade - II

Esqueci-me no outro post de um artigo importantíssimo! O isofix! Facilita muito muito muito a vida! Acreditem, já usei o ovinho com e sem e com é indubitavelmente melhor!
Comprámos o nosso em segunda mão e foi uma das melhores compras!

Carrinho bengala para quando são maiores e para viagens. Adoro o nosso carrinho, é grande, robusto e confortável, muito mais do que o carrinho bengala. Mas levar este carro no avião não dá e dá imenso jeito ter onde pousar a cria para ir fazer xixi quando se viaja sozinho com uma criança. É que não é em todos os aeroportos que existem carros de empréstimo ou casas de banho com um banco para prender a cria enquanto se faz o que precisa (sim, no aeroporto de Lisboa há e é uma ideia genial)

Cadeira da papa- uso há já alguns meses e é muito útil. Fora achar ser essencial ensinar que se come à mesa e no nosso lugar. Como fazemos parcialmente BLW é excelente porque colocamos comida no tabuleiro da cadeira e ela come sozinha... Neste caso um tabuleiro grande é uma mais valia.

Mochila para artigos de bebé- comprámos no aliexpress, acho eu, uma mochila com vários compartimentos e é até bastante grande. Adoro, porque ando com ela muitas vezes no Mei tai e assim levo as coisas dela às costas.

Saco-cama- desde que ela se começou a mexer imenso (agora dorme atravessada na cama com os pés fora das grades e tudo) ajuda muito ter o saco-cama, porque o lençol e cobertores voam e não há nada que a tape por isso ou a visto mais ou a coloco no saco cama e está feito! Tenho sacos-cama para meia-estação e inverno, 2 de cada para poder lavar e ter tempo que sequem.

Babetes tipo bata- acho sempre úteis mas principalmente se fazem BLW. Ajuda muito a não ter a roupa suja à primeira dentada de comida. Claro que vão ter de limpar e se estão a comer manga ou algo muito sumarento aconselho a colocar um babete normal de pano em baixo.

Nenhum destes artigos é essencial, tal como os anteriores, mas dão jeito...


Uma situação de coragem

Emigrar foi, provavelmente, das coisas mais corajosas que fiz. Claro que havia claras vantagens na perspectiva de futuro e eu tinha pouco a perder a nível profissional, mas mesmo assim.
É confortável estar no nosso círculo de amigos, rodeada de família, de quem nos quer bem e com uma relação relativamente recente e feliz e deixar estar tudo como está. Mas esta foi uma oportunidade, a última oportunidade, de trabalhar na minha área.
Correu bem, fiquei por cá e o Ricardo veio pouco depois. Continua a ser difícil estar longe, custou muito nos primeiros tempos e custa sempre que vimos embora, sempre que nasce um bebé, quando há marcos importantes, operações, problemas, festas, motivos para comemorar ou apenas o dia-a-dia...
Valeu a pena? Sem dúvida! Mas continua a ser algo difícil de gerir e com a bebé ainda mais, mas descobrimos aqui um lar, um país que nos tem servido bem, também estamos rodeados de família e amigos, temos muita sorte...

Desperdício desmesurado!

Já todos sabemos que produzimos mais do que consumimos, que muita comida vai para o lixo TODOS os dias! Muitas vezes não temos noção da dimensão das coisas.
Recentemente li que todos os DIAS, atenção que não é semanas ou meses, é mesmo TODOS OS DIAS, só na Holanda, são deitados fora 400 mil pães de forma (1/4 do lixo doméstico na Holanda é pão). Os Holandeses comem sandes ao almoço, maioritariamente come-se pão de forma porque se mantém fresco mais tempo, mas não é o pão tipo Panrico, é pão muitas vezes escuro e de relativa maior qualidade.
Só a mim é que isto parece muito? 400mil pães de forma diariamente...
Nalgumas cidades colocaram uns contentores de pão onde juntamente com bactérias especificas leva à produção de gás metano utilizado posteriormente como fonte de energia. É suposto ser algo bom mas não me deixa de fazer confusão que haja pessoas a passar fome e este pão em vez de ajudar a colmatar a fome seja utilizado para produção de energia.

Porque é que produzimos em excesso???? É para termos sempre tudo disponível? Era assim tão terrível chegar ao supermercado e não haver o pão x ou o vegetal y??? Somos assim tão "mimados" que os gestores acham que se não se produzir em excesso é mau porque não vá apetecer courgette e elas já terem sido todas vendidas?????

Faz-me confusão e não sei o que fazer para combater isto, fora não desperdiçar comida em casa e na rua e recentemente apareceu uma app chamada TooGoodToGo, ainda não usei porque os horários não são propriamente práticos para nós mas está no meu pensamento... alguém tem ideias?