Pão de banana

2 bananas maduras esmagadas
2 ovos
2 colheres de sopa de óleo de coco
1 chávena de farinha de espelta e 3/4 de flocos de aveia (podem adaptar ao que tiverem em casa)
1 colher de chá bem cheia de bicarbonato de sódio (podem usar fermento em pó)
Canela a gosto
Essência de baunilha a gosto
Uma pitada de sal
Meia chávena de mirtilos

Misturar tudo, colocar numa forma rectangular com papel vegetal e levar ao forno, pré-aquecido, a 180 graus durante 30minutos (mais ou menos, até o palito sair seco, atenção para tentar espetar onde não estiverem mirtilos).
Se preferirem algo mais homogéneo podem bater tudo no liquidificador ou com a varinha mágica e depois adicionar os mirtilos.

Feito, saudável e delicioso...

p.s. em vez de mirtilos podem colocar framboesas mas sendo mais amargas costumo juntar um bocado de mel, tipo uma colher de sopa.
Também podem substituir por pepitas de chocolate preto.

(foto retirada da interner mas fica parecido com o meu...)

8 meses

Já lá vão 8 meses, impressionante!!!
Já não me consigo lembrar com precisão o quão pequena ela já foi. Vi fotografias dela em que a cabeça dela era mais pequena que a minha mama, em que ela cabia toda no meu antebraço quase mas já foi há tanto tempo, ela está tão crescida, que já não me lembro.
Ela aprendeu a abanar a cabeça, talvez seja coincidência mas quando ela está a lutar contra o sono e vou ao quarto, mal agarro na chupeta ela abana logo a cabeça, quando lhe vou dar água e não lhe apetece ela abana a cabeça porque noutras vezes ela bebe. Mas também a abana só porque sim, porque lhe apetece e deve gostar da sensação de abanar o capacete.
Está uma pro em virar-se, é com uma genica que se vira e tira o braço debaixo do corpo... Dá mil voltas à cama, entala as pernas nas grades de tal agitação, acaba a dormir toda no fundo da cama ou atravessada ou com as pernas todas encolhidas.
Acho que já nos manipula para irmos ao quarto dela porque mal ouve os passos a aproximar-se cala-se então agora andamos a tentar distinguir o choramingar de esperteza do choramingar a sério, porque não gostamos que ela esteja a chorar só porque sim né?!
Manda beijinhos, não porque sabe que são beijinhos mas porque nós o fazemos frequentemente e ela deve achar piada ao som.
Já tem 4 dentes, o canino direito que começou por nascer primeiro estagnou no crescimento e nasceram os dentinhos da frente, primeiro os de baixo e agora os de cima.
Come bem, continua a mamar, sorri muito, toda a gente continua a adorar os olhos dela que são 
escuros e bem atentos a tudo, gosta de andar de baloiço e parece que já dá balanço e tudo...





Amamentar é...

Importante. Foi o que eu escrevi, foi também a primeira coisa que me veio à cabeça. É importante mas não é essencial.
É importante porque traz vantagens ao bebé e à mãe, principalmente nos primeiros meses, depois as vantagens vão diminuindo. Por isso cada dia que consigam amamentar, mesmo que seja só o colostro, é fantástico! Mas se se decide desistir não é nenhum problema. Amamentar doeu-me uns dias, o primeiro dia correu super bem e sem dor, no segundo já tinha os mamilos doridos, piorou e depois melhorou ao 5 dia ou assim. Não eram dores insuportáveis, não durou semanas nem meses, não sangrei, não gretou, correu bem e numa semana fazia-se bem.
Se por um lado biberão pode ser mais rápido no início (amamentar demorava muito tempo nos primeiros 2 a 3 meses mas depois disso é rápido),  não há nada mais prático que ter sempre comida disponível à temperatura ideal. Não ter de me preocupar se levo água quente e fria e pó suficientes. Fora ser muito mais barato!
Agora, para mim, amamentar não é mágico, não é lindo, não é fantástico. É fácil para mim, é prático, é conveniente e é o melhor mas não há borboletas a dançar à nossa volta.
Quem decide não amamentar tem toda a legitimidade, a única coisa que tenho pena é quem não tenta por medo que possa eventualmente doer horrores, dói mas pode passar em poucos dias e ser totalmente suportável.

Agora amamentar não é a única forma de alimentar uma criança, é a mais vantajosa a nível de saúde bebé/mãe, mas se for para ser miserável, por favor, deêm biberão porque os vossos bebés precisam de uma mãe feliz e capaz e uma mãe infeliz não é bom para ninguém!

Amamentar é...
Importante
Às vezes uma seca
Prático
Barato
Por vezes doloroso
Positivo, se não nos fizer infelizes




Não dá...

Não dá para decidir ir tomar um café ou lanchar depois de apanhar a miúda à última da hora, porque não tenho fraldas e chupeta e afins comigo.
Não dá para não planear as coisas, simplesmente não dá. Quando se tem uma criança perde-se alguma espontaneidade, para sair com um bebé é preciso fraldas e uma parafernália de coisas que são indispensáveis. Também não dá para adiar compras porque mesmo que eu decida não cozinhar para nós e acabemos a comer qualquer coisa, para ela tenho de ter comida, por isso temos de pensar bem nestas coisas...
O que dita quanto tempo ficamos fora de casa é a quantidade de fraldas que temos e o ritmo a que ela as suja, já aconteceu sair e ter só uma fralda porque me esqueci de confirmar...

Não dá para ser tudo como era dantes e vamos aprendendo isso e a lidar com estas coisas...

Medo de morrer

A Carolina lançou mais um desafio: Medo, o que nos provoca medo?
Tinha este post meio preparado antes de sair o desafio e decidi fazer um 2 em 1.
Já tinha referido que por vezes tenho medo de morrer aqui, hoje falo novamente sobre isso...
Há uns meses tive uns pequenos ataques de pânico, enquanto dava de mamar, por 2 dias seguidos. Apoderava-se de mim um medo enorme de morrer, de eu morrer e a Bia ficar sem mãe, de não conseguir vê-la crescer, ficava mal disposta e com uma sensação terrível e tinha de respirar fundo com calma e controlar o choro... Terrível esta sensação. Segundo consta a minha mãe esteve exactamente igual na mesma altura...

Também desde que fui mãe há o medo constante dela morrer. Uma pessoa lê tanta coisa de bebés que morrem sufocados pelas fraldinhas de pano, pelos lençóis, síndrome de morte súbita que não tem motivo entre tantas outras coisas que fica obcecada por ir ver se o bebé ainda respira. Demorou uma hora a adormecer a criatura e há 20minutos que não faz nem um ui, lá se vai ver se ela está bem. Está a dormir há 1h30 sem dar sinal, lá se vai ver se está tudo bem...
É uma preocupação constante, vale a pena mas desde que engravidei as preocupações e medos não pararam... Medo que ela um dia mais tarde seja vítima de algum abuso, de que seja vítima da desigualdade que ainda se vive, de machismo, de tudo mesmo sabendo que não consigo controlar nada! Mas vou metê-la nalguma arte marcial just in case...


Como me irrita/entristece

É uma dualidade de sentimentos quando me dizem "tens imensa sorte, o Ricardo ajuda-te em casa" ou "que sorte ele ajudar com a bebé".

Por um lado irrita porque ele não me ajuda, ele faz a parte dele, afinal ele também vive lá em casa, come, suja, também é pai da Bia, etc... Ele faz é a parte dele e isso devia ser o normal.

Por outro lado entristece-me, porque quer dizer que ainda há muitos homens que não fazem bola, ou que só fazem quando lhes é pedido. Para mim era impensável engravidar a pensar que vou ter de fazer tudo sozinha! Se um bebé suja a fralda é preciso trocar e não é preciso ser um génio para saber isto.
Claro que às vezes tenho de lhe pedir alguma coisa, ou ele pergunta o que é preciso fazer e eu é que tenho de saber, mas ele faz imensa coisa sem ter de pedir ou sugerir ou o que seja.

Estive doente ao mesmo tempo que a miúda e quando deu ele ficou com ela a ver se eu descansava, limpou a casa, fez quase tudo com ela e isto deveria ser o normal ou não?!

Espero que as mentalidades mudem, que consigamos ensinar aos nossos filhos que o correcto é fazermos as coisas a meias e não "ajudar"...


Vamos voltar a falar do sistema de saúde holandês???

A Bia esteve doente, infecção urinaria. Acho que o facto dela fazer cocó de noite e nem sempre reclamar pode ter sido um factor. Mas o que queria mesmo falar era sobre como processaram a amostra de urina para fazer o antibiograma.
Ora era 5a e apenas conseguimos colectar uma pequena amostra de urina que foi testada e deu positivo para infecção. Pediram para no dia seguinte fazer uma colheita maior para se enviar e fazer um antibiograma, para testar possíveis resistências a antibióticos. Não é assim tão fácil mas com jeitinho lá consegui recolher a urina (dei mama e água para ela fazer xixi e deixei-a em pé sempre senão ela sentada ou deitada o xixi sai todo para fora do saco de recolha).
Dirigi-me ao centro de saúde para deixar a urina (já colocada no tubo apropriado) e eis que me é dito para colocar o tubo numa caixa previamente cedida por eles para colocar no correio. Oi??? Como assim no correio???? Sim, no marco do correio que eles fazem recolha às 18h e sábado até se entrega correspondência.
A análise fica pronta no máximo quarta, sim porque sábado ninguém trabalha no laboratório por isso é uma excelente ideia deixar uma amostra de urina de um bebé que está com uma infecção a fermentar durante o fim-de-semana.
Quarta não disseram nada então eu liguei quinta de manhã (sim que aqui se queremos saber resultados temos de ser nós a ligar quase sempre, os interessados somos nós por isso...) e não é que não deu para fazer a amostra porque estava contaminada???? Que surpresa...

Já achava eu isto ridículo até que fui informada que um casal teve de transportar os seus embriões de carro entre a clínica da recolha e a clínica onde iam fazer a inseminação. INACREDITÁVEL!

Por isso quando quiserem dizer mal do SNS pensem que aqui, fora os impostos que todos pagamos, ainda pagamos um seguro nada barato, para andarem a fazer merdas destas!

Detox e mito da água

Anda tudo a falar nos influenciadores e como estes promovem produtos que muitas vezes nem testam ou até testam mas dizem maravilhas sendo mentira. A mais recente polémica tem a ver com os sumos detox e como esses produtos são uma aldrabice.
Em primeiro lugar sim os influenciadores deviam ter cuidado com o que partilham pois há gente muito influenciável. Não deviam basear-se em receber dinheiro para dizer bem dos produtos e deviam ser transparentes.
Em segundo a moda detox não é recente, já anda por aí há alguns anos, que eu me lembre.
Terceiro as pessoas não têm cérebro para se questionar os reais efeitos destas coisas? Provavelmente se por dia apenas consumir 5 sumos vai perder peso porque o aporte calórico é bastante baixo, até pode fazer os sumos em casa, mas quando voltar aos maus hábitos alimentares vai voltar ao mesmo (espantem-se).

Basta fazer uma curta pesquisa para ver que estes produtos são treta, que a dieta detox não vai trazer resultados a longo prazo, a única forma de perder peso a longo prazo é adoptar uma dieta equilibrada e mantê-la...

Outra coisa que aproveito para falar já que falamos em mitos e alimentação é que aquela eterna questão de se beber 1,5L de água por dia ser essencial é mito! Se tivermos uma alimentação equilibrada os alimentos já contêm bastante água não sendo necessário, em condições normais, beber água quando não se tem sede. Claro que se está muito calor, se se faz desporto, se se está a amamentar é importante consumir água mas também não em demasia (sim, tudo é prejudicial em excesso, até água).
Fica aqui alguma leitura em Inglês sobre esta questão:






Desafio 1 + 3 | Um objetivo que já está a ser cumprido



Na nossa vida temos sempre vários objectivos, alguns a mais longo prazo outros a curto prazo. Tenho vários objectivos de vida realizados, trabalho na minha área por exemplo, tenho uma casa, mantenho relações familiares e de amizade próximas mas não é destes objectivos que quero falar.

Um dos meus grandes objectivos do ano que passou e do ano anterior era ser mãe, eu queria muito ser mãe e provou-se menos fácil do que para a maioria mas aconteceu... Ao contrário de muita gente eu não fazia questão de ter um filho geneticamente relacionado comigo, a Bia tem os meus genes e os do Ricardo mas eu até podia ter adoptado uma criança e era feliz na mesma...

Objectivos futuros, ter outro pois está claro... E se for preciso seguir a mesma via seguiremos e se for adopção será, é num futuro não tão próximo mas está nos meus planos...


Sobre o SNS

Pois os enfermeiros voltaram a trabalhar 35 horas semanais e ninguém foi contratado para colmatar essa mudança o que leva ao caos. Salas de parto encerradas, medicação não administrada, etc...

Muito se reclama do SNS e Mário Centeno veio dizer umas barbaridades mas acreditem, estes profissionais fazem milagres com as verbas que têm disponíveis. Há muita falta de recursos e são colocados em situações muito delicadas tendo de tomar decisões muito complicadas. Imaginem trabalhar num hospital de um dito pais civilizado mas coisas básicas para um cuidado correcto estarem em falta, como é que se consegue trabalhar assim? Com amor, de certeza que se tem de ter muito amor à profissão! É uma pressão e stress constantes!

Muita gente acha que se paga muito pela saúde, aqui na Holanda fora os impostos todos temos de ter um seguro que não é nada barato e não posso ir a um especialista quando acho que devo nem às urgências só porque sim. É um sistema diferente, acho que faltam médicos e enfermeiros com a paixão dos portugueses.

E como é que quem recebe mal paga o seguro e a franquia? Pois o estado é um real estado social, ou seja, consoante os ordenados devolvem total ou parcialmente o valor do seguro e até do que se usar de franquia e quem recebe mais paga na totalidade! Crianças até aos 18 anos estão incluídas no seguro dos pais e o dentista é gratuito.

Não sou a maior fã deste sistema de saúde, é muito difícil conseguir um diagnóstico mas a verdade é que já fui a urgências no meu médico de família e não preciso esperar na fila horas, já fui às urgências do Hospital e estava vazio, demoraram 30minutos para me atender mais exames, fiquei lá mais de 1h e não havia ninguém mesmo! Mas quando finalmente conseguimos um diagnóstico as coisas são rápidas, cirurgias são marcadas, há tecnologia, há recursos humanos e logísticos. Sabiam que aqui os enfermeiros têm tipo um segway que se acopla às macas para transporte sem prejudicar as costas a andar a acartar com macas todo o dia?!

Há coisas fantásticas mas pago bastante por ele, agora perfeito era ter os médicos e enfermeiros portugueses... Isso seria fantástico!